Operação Neptuno – Dia D -1

A comemorar os 71 anos da invasão da Normandia, a preparação para o grande dia:

Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug
Photo & Video Sharing by SmugMug

Advertisements

2012 em revista

Os macacos das estatisticas do WordPress.com preparam o relatório de 2012 do blog d’Os Umbigos:

Aqui fica um excerto:

600 people reached the top of Mt. Everest in 2012. This blog got about 3,800 views in 2012. If every person who reached the top of Mt. Everest viewed this blog, it would have taken 6 years to get that many views.

Click here to see the complete report.

Tale of Two Gamers – Primeira actualização

A Batalha por Algesius IV tinha terminado, o Great Wolf Logan Grimnar, estava a passar revista à Grande Companhia do Wolf Lord Petr Firestorm.

– Bela Campanha Petr, a tua companhia foi a que mais objectivos conseguiu capturar, mais umas linhas na tua Saga pessoal!

– Grande Lobo, como sempre, as tuas palavras não são de mim merecedoras, mas já que foram proferidas, então brindemos com hidromel. Já agora, porque não acompanhar a tua própria Companhia até Fenris, porquê ficares para trás?

– Pequeno Lobito, até o Grande Lobo precisa de conhecer todas as forças à sua disposição… – ouve-se o som do intercomunicador.

– Meu senhor Petr, temos uma mensagem marcada como prioritária, foi transmitida do HQ dos Grey Knights…

– Passa a mensagem Fisk… Grande Lobo, isto não augura nada de bom.

– Como se um kraken acabasse de bater no nosso barco Petr…

*Incoming Transmission* Irmãos… no final desta campanha consideramos que o planeta Algesius IV está demasiado contaminado pelos poderes ruinosos para ser conservado! Declaramos por isso, em nome da Inquisição e do Imperedor, Pai de todos nós, Exterminatus no planeta! Considerem-se uns sortudos por terem sido avisado, a detioração do vosso material genético quase que nos faz declarar-vos como traitoris… quase *terminating transmission*

– Petr… vais preparar a tua companhia para combater estes imbecis, que nem saberiam qual o lado traseiro do imperador, mesmo que fossem um cagalhão na sua tripa… dá-me a tua guarda pessoal, que eu a levarei para o combate, enquanto tu preparas a contra ofensiva!!! Nunca deixarei que os homens valorosos da guarda imperial que lutaram ao nosso lado sejam dizimados, quando já conseguiram tanto ao livrar este planeta dos poderes ruinosos!!!

– É uma honra voltar a combater a teu lado Meu Senhor, comanda os meus homens, que eu prepararei as reservas!!!

E assim, começou a 2ª batalha por Algesius IV…

As listas foram as seguintes:

Space Wolves:

HQ:

Logan Grimnar – 275 pontos

Troops:

Wolf Guard Pack com 5 Terminators (2x Storm Bolter+Power Sword, 1x Storm Bolter+Power Axe, 1x Storm Bolter+Power Weapon+Cyclone Missile Launcher, 1x Storm Bolter+Power Fist) – 205 pontos

Num total de 480 pontos

Grey Knights

HQ:

Librarian com nemesis force halberd e os seguintes poderes pesiquicos: Might of Titan and Warp Rift. Tudo isto por uns simbólicos 165pts!

TROOP:

5 terminators com uma mistura de armas – 3 com nemesis force halberd, 1 com nemesis force sword e 1 com Nemesis Thunder Hammer – 200pts

HEAVY SUPPORT:

Dreadnought com 2 twin-linked autocannon e municiado com psybolt ammunition – 135pts.

500pts certos

___________________________________________

O Logan Grimnar ficou com o trait Master of the Offence – Furious Charge no deplyment zone do inimigo

O Librarian ficou com Master of Manouver – Outflank para ele e para a sua unidade

A mesa:

A Missão foi a purge the alien, com deployment vanguard strike

___________________________________________

Space Wolves fizeram o deply primeiro e depois do deployment a mesa ficou assim:

SW na sua zona de deployment:

GK no seu deployment:

No primeiro tudo os Space Wolves começaram por avançar desde a sua colina para trás de um dos contentores, tendo ficado o logam e mais o CML à espreita.

Os grey knights avançaram e o Dread disparou os Autocannons para a unidade de SW, tendo o Logan falhado um save dos 2 tiros que feriram.

Final do 1º turno:

No 2º turno os WG moveram-se mais para trás do contentor, tendo o CML disparado para o dread, com o tank hunter do Logan, tendo feito 2 glancings

Os grey knights avançaram um pouco mais:

tendo disparado os storm bolters e o Autocannon do dread

No final o Logan, que absorveu o tiro toro nele, salvou todos os tiros de SB e dos 2 tiros de AC que lhe acertam falhou um dos saves, tendo ficado com mais uma ferida.

3º Turno:

O Logan e os termies andam para o contentor ao lado, e o Logan ajuda o CML (tunk hunter) a fazer mais um glancing no dread, este fica wrecked e First Blood para os SW.

Com isto os grey knights assaltam a unidade, tendo o Logan ficado em combate singular com o campeão de unidade (justicar).

Os grey knights batem com + 2 de força (o poder psiquico do librarian e a da unidade), tendo causado baixas num terminator com SB+P Sword, e no terminator com CML. A bater de volta os SW fazem 2 feridas, uma com power fist e outra com power axe, o Librarian falha o save do power fist e sofre instant death, e outro terminator sofre uma ferida de power axe, morrendo também

No combate singular entre o logan e o Justicar, o Logan faz 3 ataques de power sword e 2 de power fist, tendo falhado os de power sword, bate ao mesmo tempo que o terminator com deamon hammer, o logan faz 2 feridas, que o terminator falha, o terminator faz 1 ferida, que o logan salva.

Os grey knights retiram, acabando o 3º turno

4º turno:

Os SW avançam e disparam os SB, não fazendo nada, e assalto com o prefered enemy do Logan Grimnar

Os grey knights fazem defensive fire sem resultado nenhum

Em close combat os terminators de GK batem primeiro, devido às halberds e conseguem fazer a última ferida no Logan, tendo este tombado, mas numa fúria sem igual, os SW acertam 3 ataques de power fist e 2 de power axe, acabando por acabar com a praga de Grey Knights que assolava Algesius IV.

No final Space Wolves 3 victory points das unidades (dread, termies e librarian) 2 VP’s dos objectivos da missão, slay the warlord e first blood, num total de 5 pontos

Grey Knights, 1 VP de ter morto 1 unidade (o Logan), 1 VP do slay the warlord, num total de 2 pontos!

Até daqui a 15 dias….

Tale of Two Gamers – O Inicio

Ora viva Senhoras e senhores, raparigas e rapazes.

Venho por este meio informar que eu e o Estica iremos desenvolver nas próximas semanas um magnífico projecto!

Vamos dar início a um grandioso Tale of Two Gamers (TO2G). E isto tudo porque aquele animal do Estica quer ir ao 40Korvos e não tem nada pintado para a sua lista de lobinhos… daqueles com armadura grandita, daqueles que fazem guarda… (para quem seja menos atento ou não perceba patavina do W40K, estou-me a referir a terminators de Space Wolves (SW)!).

A ideia do projecto é a de todas as semanas termos preparados cerca de 250 pts para o exército, e com isto referi-mo a modelos montados, pintados e preparados para o torneio. Já agora para ficarem a saber o torneio será no fim de semana de 24 e 25 de Novembro de 2012.

Estamos a falar de 7 semanas, o que (caso tudo corra bem) dará um exército de 1750pts, espantem-se!?!?! E não é que são esses os pontos que serão usados para esse torneio? Mesmo em cheio.

Para começar, já começamos com um bom timing, o que só poderá ser auspicioso. Vamos esperar que sim!

Todos os 15 dias (às segundas-feiras) tb teremos um embate entre as nossas forças (ele com SW e eu com os garbosos Grey Knights) para irmos reaprendendo as regras de 40k e dominarmos as listas.


Para concluir será publicado semanalmente um ponto de situação em relação ao evoluir dos exércitos e de 2 em 2 semanas vamos fazer um pequeno battle report.
Para dar um certo sabor à coisa, cada um de nós vai escrever a componente da reportagem referente ao seu exército. O battle report será elaborado por quem estiver mais à mão!!! (Voluntários?!?!?!)

Neste primeiro post cada um vai escrever um resumo do que se propõe fazer, bem como uma descrição do exército que vai construir.

Com estas promessas despeço-me, na esperança de que os senhores telespectadores gostem do charmoso espectáculo que vamos desenvolver só para vosso deleite.

Um grande abraço.

(imagens cortesia de http://40kwargaming.blogspot.pt/ e http://greyknights666.blogspot.pt/)
______________________________________________

Como modo de me manter motivado para a construção e pintura de um exército secundário da minha grande companhia de Space Wolves, decidi levar ao 40 Korvos uma Loganwing.

Para quem não sabe, este tipo de exército consite apenas na utilização de Space Marine Terminators, o que faz com que o exército se torne terrivelmente curto. O nome é uma derivação da 1ª Companhia do Capítulo dos Dark Angels, que se chama de Deathwing, e como apenas se consegue construir pagando os pontos para a colocação do Logan Grimnar, adoptou-se o nome de Loganwing (Tal como existe a Lysanderwing para Imperial Fists, ou a Draigowing para os Gay Knights, ainda que estes não necessitem de um Speacial Character para a sua construção).

O facto da lista ser terrivelmente curta faz com que tenha dois pontos extremamente positivos. O 1º é que o transporte irá ser muito fácil, com uma pequena caixa de fósforos meto lá dentro todos os terminators. O 2º é que irei nomear todos os modelos a pé, e criar uma pequena Saga para eles.

Assim, e depois de muito pensar acerca de como construir a lista, cheguei a uma versão final que incluirá:

HQ:

Logan Grimnar – 275 pontos

Rune Priest em terminator armour c/ Combi melta, Rune weapon, Poderes(JotWW e Murderous Hurricane-Não é master of runes) – 125 pontos

Elites:

Lone Wolf com Terminator Armour, Chainfist, Storm Shield e 2 Fenrisian Wolves – 105 pontos

Troops:

Wolf Guard Pack com 6 Terminators (1x Heavy Flamer+Frost Blade, 2x Storm Shield+ThunderHammer, 2x Par de Wolf Claws, 1x ChainFist+Storm Shield) -333 pontos

Wolf Guard Pack com 5 Terminators (2x Storm Bolter+Power Weapon, 1x Combi plasma+Power Weapon, 1x Storm Bolter+Power Weapon+Cyclone Missile Launcher, 1x Storm Bolter+Power Fist) – 210 pontos

Wolf Guard Pack com 5 Terminators (2x Storm Bolter+Power Weapon, 1x Combi plasma+Power Weapon, 1x Storm Bolter+Power Weapon+Cyclone Missile Launcher, 1x Storm Bolter+Power Fist) – 210 pontos

Heavy Support:

1 Land Raider Crusader com MultiMelta – 260 pontos

1 Vindicator – 115 pontos

1 Vindicator – 115 pontos

Isto perfaz um total de 1748 pontos, não tendo conseguido encontrar nenhum sítio onde gastar os 2 pontos restantes.

Passemos agora ao que interessa, os bonequitos. Após a preparação da miniaturas, cheguei ao ponto actual, em que tenho os corpos dos terminators montados (não contando o Logan Grimnar, nem o Rune Priest), tenho os vindicators montados, e o Land Raider Crusader ainda no sprue.

Logan Grimnar:

Rune Priest (uma conversão do Lord of Chaos de plástico e que ainda está a ser trabalhada) – Escolhi este modelo em particular para ser o meu Rune Priest por ter só por si um aspecto já feral. Típico dos Space Wolves, e porque os símbolos do torso serem muito parecidos com os símbolos dos librarians. Meti um símbolo antigo para veículos na perna esq para esconder os motivos caóticos e na perna direita irei esculpir pele, ou talvez alguma coisa com runas. O staff irá ser também convertido com uma caveira de lobo existente no kit dos space wolves em power armour:


Por fim faltam os Terminators – Os únicos com já algum armamento são os 2 com Cyclone Missile Launcher (CML), os outros todos estão ainda à espera que eu limpe a linha de molde dos braços:

Na realidade a linha da frente (7 Terminators) e 1 da linha de trás não contam para este projecto, e estão apenas aqui representados porque decidi montar todos os terminators que tinha em casa. Serão para futuramente eu experimentar novas listas e para ter algumas variantes de equipamento para jogos com os Space Wolves tradicionais.

Há medida que for fazendo os updates com as diversas unidades irei também fazer alguns comentários sobre o papel expectável das mesmas no campo de batalha.
Os Veículos não estão ainda disponíveis em fotografia, mas já irão fazer uma perninha no próximo Update.

______________________________________________

Estou com uma ligeira dificuldade em decidir que lista deva construir. Como não vou ao torneio gostaria de criar uma lista forte o suficiente para que o Estica tenha um exército exigente para que a lista de lobitos dele tenha que suar as estopinhas.

Assim sendo optei por ir para uma lista de terminators de GK com uns amiguinhos mecanizados! Assim sendo a lista que vou usar para o exército de 500pts vai ser:

HQ:

Librarian com nemesis force halberd e os seguintes poderes pesiquicos: Might of Titan and Warp Rift. Tudo isto por uns simbólicos 165pts!

TROOP:

5 terminators com uma mistura de armas – 3 com nemesis force halberd, 1 com nemesis force sword e 1 com Nemesis Thunder Hammer – 200pts

HEAVY SUPPORT:

Dreadnought com 2 twin-linked autocannon e municiado com psybolt ammunition – 135pts.

Concluindo 500pts certos, mesmo na muche!

Assim os meus planos para a primeira semana são a de trabalhar no Livreiro e no Dreadnought – 300pts. Um pouco acima do que é exigido, mas não me parece que seja nada de especial! São só dois modelos!!!!

Neste momentos as coisas estão assim:

Librarian:

Terminators:

Dreadnought:

À medida que for tendo os modelos acabados vou criar uma história para cada um deles! Como o Estica diz, eles são tão poucos que me posso dar ao luxo de criar uma pequena história e dar alguma personalidade a cada um dos modelos!

Quanto aos planos para as restantes semanas são: “Ir vendo à medida que as coisas correm!” 😉

______________________________________________

Outra vez contra eles

Mais um dia e mais uma batalha que o comando mercenário Caroligian Guards tem de vencer. Desta vez lançado numa missão de relief em plena zona de ocupação dos Ghost Bears têm de começar por limpar a zona de elementos inimigos, que neste caso consiste de uma binária de Garrison Troops, e ao fim de vinte segundos já vêm um dos seus Goliath pelo chão, ao mesmo tempo que os guerreiros dos clans já perderam um Baboon e um Snow Fox, e um Blood Asp, ainda que não fora de combate, mas já a bater também no chão.











Nas asas da glória

Decorria o ano da graça do nosso Senhor de 1917. Era um mês de Julho bastante agradável, nem muito calor, nem muito frio. A temperatura ideal para um passeio nas margens do Sena, não fosse a Europa estar a ser lavrada por uma guerra como nenhuma outra.

Claro! Não são todas?!” Foi a ideia que passou pela cabeça do 2nd Lieutenant Gerald William Ferguson após receber a informação de uma missão de máxima prioridade e de extremo secretismo, através de um estafeta do 16Squadron da Royal Flying Corps (RFC). Bebeu de um trago o conteúdo do seu flûte de champagne Dom Pérignon cuvée de prestige, olhou nos olhos da voluptuosa parisiense que o acompanhava, sorriu e disse:

Dias não são Dias, e nos tempos que correm o futuro não nos pertence…

Ao que ela lhe respondeu:

Mon cher, não precisas de dizer mais nada, sei perfeitamente o que estás a pensar, vamos tratar de virar mais uns canecos deste néctar dos deuses e depois vamos até ao quarto do hotel que isto de andar no engate cansa…

(Mas que raio pensavam vocês agora? que isto ia ser um romance? e que tal arranjarem vida própria? Continuando com a descrição do jogo de Wings of War que aconteceu no passado dia 16 de Setembro de 2012.)

O vento soprava por entre os campos de papoilas, o vermelho das suas pétalas contrastava com o verde e as cores de matiz claro que as envolviam. Tempo de colheitas. O Flight Sub-Lieutenant Aubrey Beauclerk Ellwood observava o fenómeno enquanto se recordava de uma bela tarde que tinha passado com a Tatiana por detrás do coreto lá do burgo onde cresceu. Encontrava-se tão absorvido na sua contemplação que não se apercebeu de um carro preto que se acercava.

Dele saíram 2 figuras bastante características, um alto e entroncado, o outro baixo e barrigudo. Foi o bater das portas que fez Ellwood regressar à realidade. Quando os viu, logo os reconheceu realizando que a vida não lhe iria sorrir! “Certamente mais uma missão do arco da velha!

Pouco tempo tinha passado desde a hora de almoço no aeródromo avançado, cerca de 30 km separavam as casernas dos pilotos das enlameadas trincheiras onde os “pobres desgraçados” infantes passavam as passas do Algarve.

O 2nd Lieutenant Ferguson, o seu observador, o 2nd Class Air Mechanic Fry e o Flight Sub-Lieutenant Ellwood tinham acabado de receber as indicações relativas à missão “top secret” e “extreme priority” que os esperava. O alvo localizava-se nas seguintes coordenadas N 39º 17′ 17.63”, W 8º 44′ 23.86”, uma fábrica de processamento de resíduos provenientes da industria suína, transformada para o fabrico de armas químicas. Armas que estavam a contribuir para o desequilíbrio da balança para o lado dos poderes centrais.

Mas está tudo maluco? Mas acham que só 2 aviões são o suficiente para limpar com aquela estrumeira?” proferia exasperado o 2nd Lieutenant Ferguson. “Vocês ao menos sabem o que é que se situa perto dessas coordenadas?”. Não era nada mais anda menos que o aeródromo de onde partia o novíssimo Fokker DR.1 do Rittmeister Manfred Von Richthofen, um avião ainda em fase de integração nas forças da Luftstreitkräfte, mas que já tinha provado o seu valor e superioridade face a grande parte das aeronaves ao dispor da RFC e restantes forças da Entente.

Para juntar à festa, o sangrento mês de Abril não tinha sido simpático para as esquadras de aviação da RFC, encontrando-se estas bastante desfalcadas.

O homem alto e entroncado responde-lhe para ter calma que a situação estava sobre controlo e que já tinham sido tomadas acções para responder a essa necessidade. Tinha sido solicitado o apoio da 65e Escadrille da Aéronautique Militaire, tendo esta enviado nada mais nada menos que o grandioso às, em ascensão, Sous Lieutenant Charles Nungesser, com o seu magnifico, mas já ultrapassado, Nieuport 17.

Com a força de ataque reunida:


O plano de batalha foi revelado:

_____________________________________________________________

As paredes encontravam-se revestidas com cartazes a apelar à união nacional, ao patriotismo e ao sacrifício pelo império e pelo Kaiser. Havia alguma humidade, o tempo não era dos mais felizes, muito nebulado, e o orvalho matinal em nada contribuía para a melhoria das condições de habitabilidade. O sol avizinhava-se por detrás dos montes.

O jovem operador do telegrafo dizia mal da vida dele quando a máquina começa a dar sinais de vida. Após receber a totalidade da mensagem analisa-a e pensa “mais uma mensagem que não tem significado nenhum, estes gajos não têm mais nada para fazer na vida do que me atazanar?”, relutante levanta-se e dirige-se ao oficial de comunicações para lhe entregar a mensagem.

Quando é que recebeste isto?” questiona o oficial? Ao que o jovem operador de telegrafo lhe responde prontamente “Agora mesmo, senhor.”. Era uma mensagem codificada contendo a informação do ataque que as forças aliadas se preparavam para efectuar nesse mesmo dia nas primeiras horas da manhã.

O alarme suou e o leutnant Werner Voss levantou-se com bastante relutância da poltrona onde repousava após uma noite bem passada no bar dos pilotos. “Alguém anotou o nº de matrícula da carroça?” pensava enquanto bebia um copo de água, para aclarar as ideias. Levantou-se, vestiu o casaco de piloto, deslocou-se até à porta de saída e entrou na neblina matinal.

Eles aproximar-se-ão das nossas 2 horas.” afirmava Von Richthofen, o Barão Vermelho. O tempo estimado para a chegada das aeronaves inimigas acercava-se. Os mecânicos já tinham sido alertados e os aviões alemães já se encontravam em aprontamento.

Opa, como dizia o outro – Isso morre tudo!” comentava o Oberleutnant Ernst Udet enquanto agarrava nos seus óculos de voo e dava um trago na schnapps que se encontrava em cima da mesa. “É para aquecer as articulações! Já a minha avó dizia!”, quando se viu confrontado pelo olhar inquiridor do Barão Vermelho.

Recolheram o equipamento de voo e abalaram para fora do edifício em direcção aos aviões que os esperavam, com um aspecto e uma vontade predatória.

Pelo caminho cruzam-se com o leutnant Voss, que caminhava com um aspecto vergonhoso enquanto dava largos tragos na garrafa de água que empunhava.

Bem, calculo que não te interessem os pormenores do plano?” comentou o Oberleutnant Udet. Ao que Voss se limitou a acenar com a cabeça. Era um jovem piloto que contava já com 34 vitórias confirmadas aos comandos do seu fabuloso Albatros D.III.

Os 3 aviões encontravam-se alinhados perto da pista. A missão deles era de vida ou morte. Deveriam defender a fábrica com unhas e dentes.

_____________________________________________________________

Os aviões alemães iniciam o jogo perto do objectivo que deveriam defender, o Albatros D.III do leutnant Werner Voss e o Albatros D.Va do Oberleutnant Ernst Udet no flanco esquerdo enquanto o Fokker DR.1 do Rittmeister Manfred Von Richthofen defendia o flanco direito da fábrica sozinho. A sua reputação assim o obrigava.

Os pilotos da “entente” a bordo das suas máquinas infernais apresentaram-se com o Nieuport 17 do Sous Lieutenant Charles Nungesser pelo flanco esquerdo, o Sopwith Camel do Flight Sub-Lieutenant Aubrey Beauclerk Ellwood ao centro e o Bombardeiro RAF RE 8 do 2nd Lieutenant Gerald William Ferguson e do 2nd Class Air Mechanic Fry, com a preciosa carga explosiva que permitiria o cumprimento da missão com sucesso, no flanco direito.

_____________________________________________________________

O céu nublado sofria com a passagem das aeronaves que se preparavam para um importantíssimo embate que poderia alterar significativamente o desenrolar do conflito que assolava a Europa.

Os Albatros alemães percorreram com a máxima velocidade possível o flanco esquerdo com o objectivo de cortarem a passagem do bombardeiro que se aproximava ameaçadoramente do seu objectivo. Este ao observar a aproximação das aeronaves inimigas procura desesperadamente o apoio dos seus camaradas de armas.

Ao mesmo tempo que estes movimentos decorriam o Barão Vermelho posicionava o seu triplano de modo a poder contabilizar nova vitima para o seu grande historial. “Ora bem, na pior das hipóteses volto para a direita e corto a passagem do bombardeiro e apoio o ataque daqueles dois trambolhos”, cogitava Von Richthofen.

_____________________________________________________________

O Flight Sub-Lieutenant Ellwood observou as manobras dos seus adversários e posicionou o seu ultrapassado Camel de maneira a cruzar a trajectória do Barão Vermelho e tentar a sua sorte cravando o triplano de chumbo. “Querem ver que sou eu que vou haviar o Insigne Barão?”, sonhava Ellwood ao mesmo tempo que primia o gatilho das suas twin synchronised Vickers guns, inflingindo 3 pontos de dano na estrutura e no motor do, já fragilizado (8 pontos de dano), triplano.

Querem ver que este gajo está com a pica toda?” pensou Von Richthofen enquanto se preparava para mais uma arriscada e ousada manobra que tanto o caracterizavam.

_____________________________________________________________

As manobras dos aviões alemães levaram-nos a posições bastante favoráveis de modo a poderem proceder a um ataque mortífero contra o pesado e lento bombardeiro inglês.

O Albatros de Voss preparava-se para tomar uma posição predatória contra o seu primordial objectivo, o bombardeiro RAF RE 8, ao mesmo tempo que Udet e Von Richthofen voltam para se acercarem e encurralarem a sua presa.

O Sous Lieutenant Charles Nungesser com o seu novíssimo Nieuport 17 passava pela sangrenta batalha como cão por vinha vindimada. Certamente o seu objectivo no presente conflito seria testar a máquina e não entrar em atritos chatos e aborrecidos.

Ellwood pressionara de mais a sua máquina e não teve oportunidade de manobrar o seu camel para uma posição que lhe permitisse culminar o que tentara! Abater o Barão.

_____________________________________________________________

Ao observarem que a sua presa se apresentava de uma maneira tão acessível o Oberleutnant Udet e o Barão pressionam os gatilhos das suas twin Maschinengewehr 08.

e conseguem o grandioso feito de abaterem de uma só passagem o flagelo que poderia assolar o resto das suas vidas.

Por sua vez o 2nd Lieutenant Ferguson tenta a sua sorte e concluir o que o Flight Sub-Lieutenant Ellwood não conseguira: Abater o Rittmeister Manfred Von Richthofen, mas a sua posição não era a mais favorável e somente conseguiu infligir um ponto de dano no já debilitado triplano.

_____________________________________________________________

Os pilotos alemães tinham, por agora, conseguido cumprir a sua missão: proteger a preciosíssima fábrica.

Era tempo de regressar ao aeródromo para procederem a reparações e tomarem o tão merecido pequeno almoço. As salsichas e o café quente esperavam por eles na messe.

Os restantes pilotos da “entente” ao verem o bombardeiro, que lhes permitiria cumprir a missão, despenhar-se contra o solo constatam que tanto o piloto como o observador saiam, aparentemente, ilesos dos destroços.

Estes hunos não esperam pela demora” vociferava Ellwood enquanto se dirigia para as linhas amigas com o intuito de procurar apoio para resgatar os seus camaradas.

_____________________________________________________________

A batalha já decorria há uns bons minutos! Aparentemente o narrador dos acontecimentos esqueceu-se da sua função! Devia estar muito ocupado a fazer algo…

O 2nd Lieutenant Gerald William Ferguson e o 2nd Class Air Mechanic Fry tinham sido resgatados numa atribulado e perigosa missão de “search and rescue” e já se encontravam a bordo de novo bombardeiro, munidos de uma força de vontade hercúlea e uma fé inabalável no seu objectivo, mesmo após terem presenciado o Nieuport 17, do camarada de armas Sous Lieutenant Charles Nungesser, ser abatido sem dó nem piedade pelos pilotos hunos.

Fry, é assim mesmo!” gritava o 2nd Lieutenant Ferguson para o seu observador, momentos após este ter conseguido abater o Albatros D.Va do Oberleutnant Ernst Udet. Mas para grande desgosto de Ferguson o embate que decorrera minutos antes fora o suficiente para que se distraísse momentaneamente do rumo que o seu RAF RE 8 estava a levar e quando deu por si, o objectivo passava ao seu lado esquerdo!

Raios! O objectivo tão perto e agora tenho que dar uma volta do camandro!”, vociferava Ferguson enquanto se preparava para efectuar uma volta para o seu lado direito.

Fry, consegues ver alguém na nossa cauda? Fry, não me ouves?” Quando olha para trás verifica que o 2nd Class Air Mechanic Fry pendia inanimado sobre a metralhadora que utilizara para abater o avião alemão. o Oberleutnant Udet ao ser abatido conseguira simultaneamente infligir danos mortais no bombardeiro inglês.

Ao mesmo tempo o leutnant Werner Voss aos comandos do seu Albatros D.Va lutava freneticamente para se libertar da perseguição que o Flight Sub-Lieutenant Ellwood, a bordo de um Sopwith Camel, lhe fazia.

Von Richthofen acabar de efectuar mais uma das suas manobras arriscadíssimas! Daquelas que o distinguiram dos restantes pilotos! (Pensava Von Richthofen para si mesmo – “Epá este jogo tem manobras bastante reais! uma pessoa tem que virar as cartas para poder ter a certeza de que é esta manobra que pretende!” – resumo do pensamento e das consequentes acções – Queria voltar para a direita e acabou por escolher uma carta de manobra que o obrigou a virar para a esquerda! – sem comentários!)

Voss conseguira livrar-se do assédio que Ellwood lhe promovia, a vida voltara-lhe a sorrir.

Caragos para isto! Este animal é mesmo bom naquilo que faz!” praguejava Ellwood enquanto se cruzava com o bombardeiro dos seus camaradas de armas, que ia a meio da volta de modo a permitir uma passagem exactamente por cima do objectivo a bombardear.

Von Richthofen concluíra uma manobra de Immelmann que lhe permitiria cortar a trajectória que o 2nd Lieutenant Ferguson planeara para concluir a missão.

Ferguson estica ao máximo os 150 cavalos do motor do bombardeiro, “ou vai ou racha! Desta vez não escapa, o objectivo está próximo”.

O barão conseguira o que pretendia, um posicionamento perfeito para poder metralhar e tentar abater o avião inglês, negando uma vez mais o sucesso aos pilotos inimigos. Prime o gatilho das suas metralhadoras, mas o resultado foi bastante insatisfatório, após todo o barulho proveniente das suas costureiras spandau, o bombardeiro inglês permanecia inalterado na sua vontade de concluir a missão.

O albatros de Voss concluira com sucesso mais uma manobra de Immelmann, o seu posicionamento era perfeito para metralhar impiedosamente o avião de Ferguson. Aproveitando a velocidade conferida pela manobra e exigindo toda a potência possível no motor mercedes que equipava o seu avião encurtou consideravelmente o hiato que os separava. A distância era a ideal para o correcto funcionamento das suas metralhadoras. Voss dispara as suas armas sem dó nem piedade para com os objectivos do 2nd Lieutenant Ferguson.

Von Richthofen, como uma ave de rapina, continua a perseguir a sua presa, com o duplo objectivo de impedir o bombardeamento da fábrica e engrossar o seu numero de vitórias.

Ferguson sente trepidações na estrutura do seu avião, “aguenta-te que o dia de hoje ainda será nosso!”. Enquanto o Sopwith Camel de Ellwood se prepara para retirar do campo de batalhar com a sensação de que a missão estaria prestes a ser cumprida.

Mas o debilitado avião de Ferguson já não resistiu a mais um ataque da aviação inimiga, literalmente morreu na praia. A vitória, mais uma vez, não escapara às forças centrais. Embora um dos seus camaradas tivesse sido abatido, o saldo final foi positivo. MISSÃO CUMPRIDA.

Os aviões alemães regressam para a sua base, com sensações contrastantes, a alegria de cumprirem a missão, mas ao mesmo tempo um sentimento de perda pelo camarada abatido. A batalhar tinha sido bastante exigente, como se pode ver pelos danos infligidos ao lado alemão:

_____________________________________________________________

Fergusson retira-se dos escombros de mais um bombardeiro, desta vez com o seu camarada e amigo Fry entre braços, afinal ainda respirava. “Fry eles não esperam pela demora! Enquanto existirem ingleses com a tua fibra e resistência esses cães hunos não prevalecerão!

hum…..isso e couves lombardas!” foi a resposta do 2nd Class Air Mechanic Fry.

_____________________________________________________________

FIM.

autor: Emanuel Dias